segunda-feira, 2 de maio de 2011

Oriente partilhado

A presença da tradição japonesa no Brasil é tema de programação especial na VIII Semana de Humanidades da UFC: debate levam a cultura nipônica para além dos limites de sua famosa cultura pop

A partir de amanhã, as culturas brasileira e japonesa compartilham experiências em mais uma edição do Encontro Brasil-Japão, desta vez inserido na programação da VIII Semana de Humanidades da UFC

Evento que começou em 2008, em comemoração dos 15 anos do curso de japonês da Universidade Estadual do Ceará, chega a sua terceira edição. O III Encontro Brasil-Japão acontece entre os dias 3 e 6 de maio, trazendo para a cidade muito mais do que um conteúdo específico para o público acadêmico.

"Queremos, na verdade, mostrar que a cultura japonesa é muito mais do que mangá ou anime (quadrinhos e animação nipoônicos). Com isso, decidimos propor atividades que alcançassem um público mais diverso", explica Natália Marques, professora do curso de japonês da Uece.

Desse modo, a proposta da organização foi unir debates mais ligados à universidade com a difusão dos costumes japoneses, de interesse da população em geral. Durante a abertura, no Centro de Humanidade da Uece, ocorre a assembléia inaugural da Associação Cearense de Cultura e Língua Japonesa, e ainda a apresentação do Grupo Taiko, difundindo a cultura dos tambores japoneses.

Oportunidades

"Desde 2005, temos visto um aumento no número de pessoas interessadas na cultura japonesa. Atualmente possuímos cerca de 120 alunos. São jovens de 15 a 20 anos que, a princípio, se interessam pela cultura pop japonesa, mas depois vão se encantando por outras vertentes dos costumes nipônicos", afirma Natália.

Refletindo esse crescente interesse, destaques do III Encontro Brasil-Japão são as palestras que discutem as oportunidades de continuidade dos estudos para os alunos que já passaram pelo curso de japonês da Uece.

Na manhã do segundo dia de atividades, será realizada palestra sobre bolsas de estudo no Japão, com a presença de membros da Associação Nordestina de Ex-Bolsistas e Estagiários no Japão. No último dia, discute-se ainda em mesa redonda a construção do Curso de Graduação em Japonês na Uece. "O curso de japonês é apenas uma extensão. Quem termina o curso e quer dar continuidade tem apenas a chance de fazer parte de uma monitoria. No entanto, ela já não comporta mais a demanda. Queremos expandir essa formação", explica Natália Marques.

Os workshop e oficinas que acontecem na quarta e na sexta-feira são gratuitos e voltados para os interessados em aprender artes tradicionais japonesas, como shuuji (caligrafia) e ikebana (arranjos florais).

MAIS INFORMAÇÕES

III Encontro Brasil-Japão. De 3 a 6 de maio. No Centro de Humanidades da Uece (Av. Luciano Carneiro, 345). Contato: (85) 3366.7602

MAYARA DE ARAÚJOREPÓRTER

Fonte: Diariodonordeste

3 comentários:

Blog UaiMeu! disse...

Eu admiro muito os Japoneses,povo muito trabalhador,centrado,calmo.
Acho que o Brasil vai ganhar muito com essa fusão.
Abraço
http://uaimeu10.blogspot.com/

J.R. disse...

Adoro toda essa tradição!!!

Mumu disse...

Adoro também essa tradição e queria muito ir... Mas nem dá =//

Postar um comentário